Categorias
Good Girl

Good Girl – S1/EP1: Apresentações, censuras e mais safadezas da MNet

Good Girl é o novo programa da MNet que até agora eu não entendi muito bem a proposta desse reality, então estou bem perdido quanto a isso. Contudo, isso não é motivos par eu não dar minha opinião, favoráveis ou não, em relação a essa pataquada toda que a emissora está propondo.

Nós, espectadores, já sabíamos quem são as 10 mulheres que participariam, mas elas mesmas não, então a recepção delas foi acontecendo aos poucos, principalmente que elas aparecerem em um prédio luxuosíssimo de Seul para o primeiro encontro. Claro que só depois de algumas participantes no lugar que os VTs começaram mesmo, ainda mais que ninguém se dava o trabalho de se apresentar antes.

Antes disso, tivemos a intro horrorosa de quem foi a ladra da MNet, ou seja, quem foi a pessoa mais excelente que venceu as provas nonsense e levou a maior quantia de dinheiro para casa. Então, voltemos à programação de elas se conhecendo.

A ordem foi: Yunhway, Jiwoo do Kard, Jamie (Ex-Jimin Park). A quarta a chegar foi Sleeq, uma rapper feminista, do underground coreano, a qual ninguém conhecia, a não ser uma ou outra, mas diálogos eram poucos mostrados.

A quinta, então a mais polêmica por ter feite um twerk na propaganda, foi Queen Wa$abi. A mulher não tem travas na língua, é extremamente afiada, é uma das principais da cena hiphop da atualidade (Certeza que fará, ou já faz, um forte barulho). Ela até soltou essa pérola aqui:

Em seguida, veio a velha de guerra da MNet, a Cheetah, que deve ter o contrato com a emissora para estar em tudo proposto, até mesmo naquele feat com a Park Bom ano passado.

A sétima surpreendeu também, que foi a LEE Youngji, a mais nova rapper revelada por sabe sei lá qual programa da MNet. Ela foi a mais animada de todas, até porque deve conhecer todas e ser fã de metade de todas elas.

A oitava a chegar foi a Yeeun, integrante do CLC, main rapper do grupo. Por incrível que pareça, ela e a Sleeq se conhecem, pois tinham se encontrado uns 4 anos antes num music show, em que a rapper cantou uma música inteira da Sleeq, além de dar um dos álbuns do grupo a ela (Se minhas contas não erraram, foi o EP Nu.clear, o último antes de Hobgobling).

A nona a aparecer é a Hyoyeon, ou DJ HyO para quem real gosta das farofas dela (Eu aqui!).

A surpresa foi geral, porque ninguém esperava uma Girl’Generation estar num reality para conseguir dinheiro. Mas cá ela está (O porão da SM deve estar bem monótono).

Por último, Ailee foi a última a chegar, o que foi uma alegria geral, além de surpresa, pois o que a princesa do Soul coreano está fazendo ali? Além do mais, alguns VTs para nossa entretenimento.

Disso, conhecemos o nosso apresentador, o DinDin (Who?).

E ela explicou a temática: todas farão apresentações com o intuito de ganhar dinheiro (O que isso é ótimo a elas, principalmente umas ali que estão fora da mídia há um tempo).

Para isso, foi anunciada a primeira apresentação, que contará com um prêmio de 5 milhões de won, que terá performances que mostrem as principais características de cada participante. Além do mais, teve o método de votação (que até agora eu não sei o motivo para): cada participante, pelo andar da primeira performance, terá que escolher se querem ou não fazer um feat com a outra, dando like ou dislike.

Claro que inicialmente todas caíram matando porque não era justo fazer essa rivalidade (Eu senti um ar muito semelhante do Queendom, de que elas sabiam que se tratava de uma competição, mas não tinam vontade de sair por cima o se mostrar mais competitiva para não sair como a egocêntrica).

Cheetah – Crazy Diamonds

A primeira a se apresentar foi a Cheetah. Ela mesma tomou essa decisão por ser a mais velha, por ter mais tempo de competições, além de que é mais confortável, pois é chegar, apresentar e voltar para o camarim. Porém, a presença de plateia a desbalanceou um pouco, além de ter muitas alunas dela de outros survival shows.

A apresentação dela foi boa, mesmo para mim que não sou muito fã dessa parte do rap/hiphop. No final, ela soltou que errou algumas linhas, as demais participantes não repararam, situação que a plateia percebeu, tanto que muitos caíram matando em cima dela uma que eu fiquei “Amados?”. Ela mesmo não saiu 100% satisfeita, o que até a surpreendeu quando todas as 9 participantes deram um like para a apresentação dela.

Yeeun (CLC) – Black Dress (Remix)

A segunda a se apresentar foi a Yeeun, com um remix de Black Dress, um dos maiores hits do grupo (Falando delas, okay? Não do Kpop em si). O que mais me surpreendeu foi a plateia conhecer a integrante e o grupo, principalmente as meninas do Weki Meli e do DIA (E a Coreia do Sul dorme gostoso para elas).

Por ser fã do grupo, sou bem suspeito a falar, mas a apresentação dela foi muito boa. Claro, ela não inovou tanto, até porque não teve como ampliar muito o rap dela, o que seria melhor se ela tivesse feito um medley com Black Dress, Hobgoblin e No. Ela fez coreografia, o que pode ser difícil se pensarmos que ela estava ocupando lugar de 7 em um solo.

A plateia falou muito bem, uma crítica ou outra por não ter focado tanto no rap. No final, ela tomou 6 likes e 3 dislikes, o que a surpreendeu bastante, pelo todo discurso de não dar faísca para rivalidade.

Queen Wa$abi – Look at my!

A apresentação da Wasabi foi a mais polêmica, ao meu ver, até porque ela possui muitas músicas com letras explicitas. A própria MNet barrou e censurou a maior parte das linhas, além dos movimentos e tals, principalmente nas cenas em que contaram a história dela.

No final, o choque da plateia foi maior ainda, ela recebeu 6 likes e 3 dislikes, o que chamou a atenção de muitos, pois fazer ou não um feat com ela seria utilizar o discurso dela ou não? O que cai na Sleeq, que não concorda com a maioria das letras e exibições que ela faz, tanto que se percebe uma certa desarmonia entre as duas.

Lee Youngji – 암실 @크루탐색전

O que mais chama atenção na Lee Youngji é o vocal mais grave dela, o que os coreanos chama de husky voice, além da presença de palco dela ser ótima. Claro, ela mesclou pop com hiphop, o que acaba me agradando ainda mais do que realmente me agradaria.

Sleeq – Here I Go

Sleeq, como disse anteriormente, é conhecida por trazer certa militância em suas músicas, principalmente por ela ser feminista, então era esperado isso em sua apresentação.

Só ignorem o aviso hehe

Apesar de eu achar a letra bem repetitiva, ela entregou uma mensagem sobre não se encaixar numa bolha, sobre não viver em máscaras, o que revela ainda mais com as bandeiras do movimento LBGTQIA+ ao fundo.

Isso chocou todo mundo, plateia e participantes, tanto que muitos demoraram para digerir a mensagem, muitos ficaram estagnados e demoraram para dar uma resposta sobre. Claro, parte não concorda ou prefere manter isento, tanto que apenas 4 deram likes para a apresentação.

O que me chocou mesmo (Mas não surpreso) foi essa safadeza da emissora. O negócio é: 3 bancos, 3 equipes, cada uma ia escolher o que seguiriam. Eu esperava a Hyo e a Yeeun indo fazer um feat com a Sleeq (Até porque com No e Me na discografia do CLC e um You Think na do Girls’Generation, por que não levantar uma bandeira? A situação é delicada, então vou esperar a legenda do 2º episódio para falar sobre).

Claro, eu acho que rola uma mudança dessa imagem, até porque não tem lógica a MNet não querer por fogo no parquinho.

Bom, essa foi a review, espero que tenham gostado, bom fim de semana. Cuidem-se, curtam o post, sigam o blog e até amanhã com a Review do Road to Kingdom

Publicidade

14 respostas em “Good Girl – S1/EP1: Apresentações, censuras e mais safadezas da MNet”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s