Categorias
Pauta Aleatória

Músicas de Kpop como fetiches sexuais

E aí, meu povo, como estão? Prontos para falarmos sobre os idols safadjenhos e suas letras mais calientes (Algumas eu forcei pelo teor da brincadeira)?

Ah, creio que nada melhor do que uma pauta aleatória para esse domingo de páscoa, a semana é santa, essas músicas aqui não. Eu estava ouvindo uma das músicas dessa pauta e achei que seria interessante trazer algo mais informativo e, por conseguinte, divertido nesse meio que o Kpop desova músicas com N situações diferentes, ainda mais que nos próximos meses teremos um filme com a nossa queria Seohyun do Girls’Generation sendo uma dominatrix e aguardemos o que ela nos entregará.

Lembrete: A intensão dessa pauta não é fazer kinkyshaming com as pessoas que possuem esses fetiches. Kinkyshaming é uma forma de julgamento e preconceito com o fetiche alheio, e é uma forma de discriminação e bullying (Já que a fanbase de kpop gosta de causar com casos de bullying, que sejamos mais claro assim para vocês não julgarem ou condenarem os gostos alheios). Até porque, como médico que serei, a minha unica função em determinados fetiches é guiar o indivíduo de forma saudável para que sua prática seja boa e consciente.

Caso um dia vocês encontrem um profissional da saúde que busca julgar as suas práticas e condenar suas escolhas, impondo a moral dele acima moral e ética médica, mudem de profissional se possível (E se for homofobia, racismo, ou qualquer tipo de preconceito criminalmente condenável, uma denuncia no CRM de seu estado implica uma advertência a ele).

Agora, tensões a parte, vamos para a pauta de hoje.

Crown, do TXT – Cuckold

A faixa que me fez criar essa pauta (E possivelmente outras) é o debut do TXT.

Cuckold, segundo alguns dicionários, é o nome dado à prática de quem um indivíduo sente atração em ser ”traído”, tendo prazer em saber que seu companheiro ou companheira está com outra pessoa, muitas vezes recebendo vídeos e fotos para comprovação. Nesses casos, dos conhecidos que sentem esse prazer, o relacionamento, muitas vezes, é aberto e há uma grande confiança mútua, que permite a prática, além de ser um acordo aceito entre ambas as partes (Não é uma traição em que há amantes, mentiras e segredos, há diálogo e limites).

Com isso, nada mais justo que o kpop definir isso com o emblemático debut do TXT, em que o refrão é traduzido nessa frase ”Há um chifre crescendo na minha cabeça/Mas eu o amo/Você se tornou minha coroa.”, que ”definiu” claramente a prática.

Fantasia, do Monsta X – Bondage

Entre outros fetiches, temos o bondage, que está relacionado com amarrações (Há outras práticas dentro do bondage, mas foquemos nas cordas, o famoso Shibari). É uma prática que limita as movimentações do corpo, deixando o companheiro ”nas mãos” do outro. Por conseguinte, é uma prática interessante em realizar com companheiros que há confiança e que saiba encarar os limites de quem está amarrado (Isso entra na prática de dominação e submissão também).

E os representantes da vez são os biscoiteiros do Monsta X, com Fantasia. Em linhas como “Bata com força, amarre mais apertado” ou até mesmo ”Lembre-se novamente […] Me deixe ser sua fantasia”, eles escancaram a prática numa das músicas mais animadas e agitadas deles, e o amadurecimento deles continua forte.

Black Suit, do Super Junior – Roupa Social

Essa aqui é um dos fetiches que mais está presente na listinha do pessoal, e até de pessoas que não se consideram fetichistas, ou até das pessoas que não sabem o que é fetiche. O uso de roupa social, para muitos, é um atrativo enorme e que aplica enorme afloramento de sentimentos escondidos. Ou vocês acham que metade das fanfics do Wattpad tem CEOs como personagem principal por quê?

E dentre várias no Kpop, eu escolhi Black Suit do Super Junior, pois 1) eu preciso lembrar que eles lançam músicas boas, e não as ruins que tem saído; 2) essa aqui é supressumo da discografia deles e 3) nada mais claro que um fetiche de roupa social do que ”Um terno preto para roubar seu coração” ou ”Um sentimento de tirar o fôlego, só um movimento”.

Touch my body, do Sistar – Oculofilia

Oculofilia é um dos fetiches com nome mais diferente, mas que acaba excitando bastante. Como o nome já diz, a atração é nos olhos, ou na visão… Mais específico, na falta dela. A pessoa perde os olhos? Claro que não, aqui não é Jogos Mortais, é Amizade Dolorida. O uso de vendas e máscaras que bloqueiam a visão é também um dos acessórios para a dominação e submissão, ainda mais que um dos sentidos que mais dependemos é a visão. Portanto, essa prática é aconselhável para pessoas que vocês apresentam confiança e que entendam seus limites.

E nada mais específico que essa, é Touch My Body do Sistar, em que o nome já fala “toque meu corpo”, além de frases atrativas como “Eu sei que você quer, venha para o meu lado” ou Toque meu corpo, vamos ir mais rápido, pouco a pouco”. Mais específico que isso, impossível.

Blood, Sweat & Tears, do BTS – Fluidos corporais (Suor)

Para o terror das armys, os 7 queridinhos delas também são bem safadinhos. Com uma música que a letra especifica uma luta com suor, lágrimas e sangue, muitos em suas práticas acabam suando bastante, o sangue fervilho no corpo com o tesão e em alguns casos, algumas lágrimas saem (E não lágrimas de choro ou de tristeza que eu estou falando, hein?).

Especificando o suor, muito sentem atração, que eleva ao estado de fetichização, de práticas com o companheiro suado, com odores naturais, e isso faz parte do nosso biológico de alguns, então acaba sendo bem mais intrínseco do que apenas rejeitarmos.

Dobradinha: Like A Cat, do AOA e Cat & Dog, do TXT – PetPlay

Uma das práticas fetichistas que mais causa estranhamento, principalmente pela falta de interpretação das pessoas, é o petplay. Com pessoas que usam adereços, como harness, máscara de puppy, ou até mesmo aqueles rabinhos de porco e de de cachorro para dar a caracterizada total. É uma prática bem teatral, em que ambas as partes devem ter consciência de que aquilo não é relacionado com zoofilia, QUE É CRIME. Muitos sentem fetiche na prática, levando até para locais públicos ao redor do mundo. Não é fake, ou nem um ato hilário, há pessoas que sentem essas vontades, e não é da nossa ossada julgar.

E isso foi bem presentado no kpop, temos o AOA com Like A Cat, que elas trouxeram traços felinos para a coreografia, mas não apenas nela, como em “Ver você hesitar para falar comigo é tão fofo ou “Eu vou andar até você como uma gata, segurando uma rosa”. E não apenas elas, mas o TXT com Cat & Dog, em que eles deixam bem explícito em “Sinto que sou seu gato, eu sou seu cachorro” ou em “Eu fico como um cachorrinho quando te vejo”, e encerram com “Não quero ficar longe de você, posso ser um animal de estimação?”

E essa foi a pauta de hoje, espero que tenham gostado. Caso eu tenha dito algo errado, ou que cause má interpretação, deixem nos comentários ou na minha DM do Twitter, ou até mesmo no meu email para contato: valedoscontosoficialcontato@gmail.com.

O intuito da pauta foi informar e, quem sabe, divertir alguns ao reconhecerem seus possíveis fetiches.

Publicidade

8 respostas em “Músicas de Kpop como fetiches sexuais”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s