Categorias
Sem categoria

O debut solo dos integrantes do AB6IX

Eu estava lindo e pleno arrumando a pauta para o resumão que saiu semanas atrás e me deparo com um MV aleatório do DaeHwi nas minhas recomendações. Então, fui pesquisar mais e a Brand New Music, a empresa deles, decidiu dar um solo no novo mini álbum do grupo, com MV e tudo. Achei meio aleatório? Muito, ainda mais que é um grupo novo. Mesmo com dois integrantes já mais experientes por terem participado do Wanna One, é bem estranho querer debutar solo algum deles, ou os 5 de uma única vez.

Contudo, com o tal Coronavírus fazendo uma turnê pela Ásia e fazendo todo mundo cancelar promoções e divulgações de comebacks, eles podem ver como cada um saíra com o público e saber quem eles vão jogar money para render como solista, sem gastar tempo de divulgação em music shows e tals. Bom, vamos analisar então cada faixa? No total, são cinco tracks, uma para cada, e isso aqui sairá apenas quando todos os MVs estiverem lançados.

Jeon Woong – Moondance

Moondance veio com o Woong. Ela bebe bastante da fonte do R&B sensual com um refrão que se aproxima de um eletrônico vocal. O clipe está um delay aos olhos, bem produzido, com várias referências à Lua. Mesmo feito em caixa, é algo que eu me veria assistindo sem parar por um bom tempo. Não cansa como o MV de More, por exemplo.

Kim Dong Hyun – More

O solo do Donghyun não me cativou. More segue uma essência retrô, parece uma b-side que Mamamoo lançaria, por exemplo, o que não seria ruim se fosse uma b-side que cativa. Pelo que a Coreia do Sul costuma aproveitar do retrô, é um acerto para os charts de lá. Entretanto, para o mundo a fora, creio que apenas os fãs reais do grupo possam aproveitar. O MV possui cores mais adocicadas, bem tons pastéis, os quais eu não sou muito chegado dependendo como são usados. No youtube, tem umas views consideráveis.

Lee Dae Hwi – Rose, Scent, Kiss

Como eu disse no resumão, eu apenas acompanho o AB6IX por causa do Daehwi, muito pelo como ele é como pessoa, pelo lado politizado que já mostrou, por ter uma sensualidade que cativa muito (Claro, até sabermos como ele é real). Rose, Scent, Kiss tem uma forte referência dos anos 1970/80/90 no quesito sensual, com um eletrônico que caminha em um uptempo, quase pista, mas que não estoura em uma balada fritação como vemos em Snapping, da Chung Ha, por exemplo. Talvez é o solo que eu mais gostei, porque teve algo chiclete, sem teorias, e de um idol que eu admiro e gosto (Tanto que as vezes eu fico bem para baixo por não gostar das músicas do grupo como um todo). O MV é um delay aos olhos, bem produzido, um jogo de cores vermelhas e azuis, dando ar mais sensual do que ele realmente entrega. A coreografia remeteu muito ao que o Taemin entrega, e eu não acho nada estranho que a empresa siga por esse mesmo caminho caso ele vire um solista de sucesso.

Lim Young Min – Break Up

Break Up é o Solo do Youngmin. Ele segue como uma balada, mas evolui para um refrão uptempo com referência de eletrônico, sem sair do que conhecemos como balad. Ainda mais que seja uma música agitada para os parâmetros que vemos, não me afeiçoou tanto. O MV é gravado em caixa, assim como a maioria desse projeto. Não muda muito do que vimos nos outros 3, tem todo um conceito mais roxo, mais dark, porém sem chegar em algo que a Moonbyul entregou.

Park Woo Jin – Color Eye

Color Eye encerra o álbum com os vocais do Woojin. Teoricamente, pelo que vemos de álbuns com solos de integrantes (Podemos ver o do BTS, por exemplo), estava faltando uma linha que seguisse o trap, e essa entrega bem o que eles querem dar ao rapper do grupo. Assim, acho genérico demais para atrair atenção de quem escuta khip-hop, então não sei como saiu entre o fandom. Sobre o MV, segue a mesma linha de quase todos os outros, um clipe em caixa e lotado de efeitos (Costuma ser mais caros pelos efeitos, não é a SM que soca os grupos em uma sala com os mesmos efeitos de cubo só mudando as cores: Overdose do EXO, Electrick Shock do F(x), Supernova do Girls’Generation).

Curiosamente, o clipe mais chato foi o único gravado em ambiente aberto.

O álbum tem seus altos e baixos, sendo os solos do Daehwi e do Woong os melhores para mim e o do Donghyun, o mais fraco. Eu até daria uma nota, mas são solos, não é um projeto total. Então é isso, até uma próxima postagem (Que vai saber o que é, porque resumão não sei se rola com meio mundo cancelando lançamento por causa do Coronavírus).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s