Categorias
AESPA

Entendendo a História: SM Culture Universe e Forever, do Aespa

E aí, meu povo, como estão? Bora continuar essa nada rápida pauta com as Vespas?

Sim, eu sumi essa semana porque foi um caos, final de semestre, né amores? Quem sabe hoje eu faça umas pautas novas dos últimos lançamentos. Enquanto vocês me aguardam, aqui tem uma pauta que já tinha feito e esperando para vocês lerem.

O que eu pretendo trazer com esse quadro? Eu quero pegar esses MVs que possuem algum tipo de história para eu, com minha lógica de escritor e poeta, é interpretar o que as empresas querem trazer. E como citado anteriormente, vamos continuar com a história das Aespa contra a BlackMamba, mas unindo os últimos dois vídeos, uma por Forever ter quase nada de história e outra pelo SMCU ter sido mais explicativo.

Como falei, Forever não tem cena nenhuma para angariar pontos à história das Aespa e de Kwangya, e a pouca interação com as AE é nessa cena, em que vemos as Aespa em um globo eletrônico de neve com as AE as analisando, como se fosse uma forma de as proteger, mas de resto, é uma música natalina que foi lançada em fevereiro, nada a ver, mas okay.

Agora vamos para o SM Culture Universe – Part 1 (E única, por hora) e ver o que saberemos amais da história das nossas Kwingas.

Esse SM Culture Universe teve o problema de vir como teaser do comeback de Next Level, ou seja, a história de Black Mamba mesmo só veio BEM depois do debut, o que talvez era para ter sido um teaser do debut, não sabemos, pois a história começa com o que esses vários buracos negros aparecendo ao redor do mundo, o que seria o caminho para Kwangya e a conexão entre mundos, a SYNK.

O NASCIMENTO DE AE

E o professor Xavier coreano e com cabelos em uma entrevista sobre o que são as AE, uma forma de alter ego digital das pessoas (Atualmente somos quase 8 bilhões de pessoas, mas só temos as AE do AEspa, o resto é tudo bonequinho de Nintendo WII) e percebemos que ele também é professor em alguma universidade e tem como aluna a nossa japonesa rainha da SM, Giselle.

O mais chique é que ele é um holograma dando aula, coisa que meus professores poderiam fazer, ao invés de faltar e eu ter que repor todas as aulas pela preguiça deles ou pela falta de organização com as respectivas agendas. Disso, o tal professore terá problemas no futuro, já que a Black Mamba invadiu o celular dele.

E temos a Giselle e sua AE imaginando uma vida de fama, glamour, sucesso e tals, interagindo, bem BFFs, o que remete a fala do jornalista

E do nada temos Lara Winter Croft, com muito tiro, muito glitch, muita ação em uma versão de Black Widow coreana, e assim a vida dela segue.

Nisso, nossa Natasha Winterroff é encurralada, e sua AE vem para salvar, tendo força física até para segurar uma dar, nisso elas sobrem de nível, o “spoiler” do comeback, até descobrirmos que a Winter está num jogo (Fake choque!). Disso, corta para a NingNing, e sabe o que é mais interessante da cena dela, é que Ning está em um estúdio de arte semelhante ao do seu vídeo teaser de debut, não sei se a SM fez de propósito ou se foi sem querer.

E temos tanto a AE como a própria a desenharem uma Borboleta, como se ela usar um iPad paa desenhar fosse a sua AE quem realmente desenhava dentro, como realmente um alter ego, interessante como trouxeram isso para essa realidade. E temos Ning-Hacker-Ning também, em que ela simplesmente invade uma exposição de ar com pinturas virtuais e expõe a sua obra de arte, revelando ao mundo sua incrível brabuleta.

Corta para a Karina, riquissima em sua piscina particular, em seu celular de última geração, com uma notificação da sua AE querendo econtrá-la. Ela vai lá, pula na piscina, aparece aquele Portal SYNK e ela vai nadando para a AE, uma fotografia lindíssima ficou, quase aquela cena das Winxs com a transformação em água.

E voltamos para a aula de filosofia AE-bótica da faculdade, em que o professor mostra a todos como nossos AEs serão formados, com alunos não concordando, principalmente pelo fator “falsidade” das redes sociais, mas aí tem o famoso bug e glitch para todo lado.

Giselle sente que sua AE sumiu e ainda questiona o professor “E se as AE forem hackeadas?”. E assim começa o ataque da BlackMamba, o professor percebe que sua aula teve problemas, mas os sistemas apontam nada, a AE da Winter simplesmente fica offline, a música da Giselle para, a pintura da NingNing é corrompida e a Karina, por estar em SYNK máxima, é possuida.

Eles repetem a cena do MV de BlackMamba, da Karina sendo possuída, e corta para a AE dela corrompida pela aura da Mamba.

Os jornais pela cidade começam a noticiar o efeito SYNKOUT, em que todos os AE foram desconectados e geral foi reclamar no Twitter de Kwangya, o SNS, e teve a revelação que tudo começou pois a Black Mamba atacou o AE do Professor, e assim surgiu aquela figura que saiu do piche que vimos lá no final do debut das meninas.

A explicação da história fica muito melhor, fato, e com algumas peças, o estranho (E talvez preguiça e sucesso de Next Level) foi que SM abandonou a história e colocou o SMCU de lado, não tendo a parte 2, que sairia antes de Savage, mas não aconteceu. Será que teremos uma parte 2? Será que Next Level é mesmo um próximo nível?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s