Categorias
Brasil

Made In Brazil: Paolo Ravley, Pabblo Vittar, Anitta, Lia Clark e mais

E aí, meu povo, como estão? Bora comentar os últimos lançamentos de brasileiros?

Paolo Ravley – Carcará

Um clipe mais simples com um fundo branco contrastando com figuras brasileiras do nosso folclore, uma luz branca, ou vermelha, e assim segue a vida em Carcará com um ritmo mais dark pop, uma música festiva e um vocal mais místico, é uma música que demorei para gostar, hoje eu aprecio muito.

Daya Luz feat. Gabily – Pegada

Pegada mescla um pop funk com brega, é uma música bem pop mesmo. É uma faixa que entrega bem o que a Daya Luz mostra como pop mesmo.

Pabllo Vittar feat. Rina Sawayama – Follow Me

Mais uma cartada internacional da Pabllo Vittar, um eletrônico de drag bem digno de força, é uma faixa que facilmente estaria em algum álbum da cantora que vai ter 1001 variações musicais.

Lia Clark – VRAU

E bora de um funk bem raiz que a Lia entrega sempre super bem.

Anitta – Versions of Me

A cantora lançou o seu novo álbum, e com faixas que marcaram muito e com muito sucesso. Com já alguns singles e vários sucessos, a cantora refez o que seria o Girl From Rio, que já havia passado por várias facetas e mudanças, e no álbum já temos as comentadas Envolver, Girl From Rio, Faking Love, Me gusta e Boys Don’t Cry.

E abrimos com Gata, uma faixa mais reggaeton, uma faixa agitada e com ritmo de funk, acaba sendo até uma faixa experimental, já que no final a música muda para um rave funk. I’d Rather Have Sex é um EDM de pista bem eurodance, é aquela faixa que mesclaram com funk para dar uma brasilidade, facilmente eu veria nas festas da minha faculdade.

Com Gimme Your Number e uma parceria com Ty Dolla Sign, é um ritmo reggaeton com sampla de Lambada em uma pegada mais trap, é uma faixa divertida até, certeza que bêbado deve ser A música, pois ela carrega também um ritmo de festa bem sensual. Junto de Afro B, temos Maria Elegante, um instrumental semelhante ao anterior, sem mudar muitos aspectos. Já em Love You, é um R&B sensual com pegada pop, seria uma excelente follow-up para Boys Don’t Cry se tivesse viralizado bem mais.

Já em Version of Me, ela encarna a Katy Perry lá na fase mais pop do Prism, facilmente é a versão mais animada da cantora, podemos colocar como a melhor do álbum até agora. Em Turn It Up, é um ritmo latino mais festivo, não é a trilha sonora de Encanto, mas facilmente seria para encerrar os créditos. Ur Baby já tem o feat com o Khalid, eu gosto da maior parte das músicas dele, ele consegue trazer muito sentimento com o vocal dele, e assim foi com essa música. Mesmo que animada, é uma faixa que tem certo teor romantico.

Que Rabão tem o vocal do Mr. Catra, provável alguma música que eles gravaram antes do falecimento do funkeiro, tem uma pegada bem funk mesmo, é um ritmo bem brasileiro, mesmo o jazz em piano ao fundo. E encerramos com Love Me, Love Me, um reagge mais lento, final de tarde, tem até pegada paradisiaca.

Eu gostei do álbum, bem melhor que o Kisses, isso é fato. Eu senti falta de uma música com apelo sexual intensa como foi com Rosa, mas isso são opiniões minhas. Fora isso, eu só organizaria melhor o álbum, fazer uma tracklist semelhante ao da Chung Ha, organizar por facetas mesmo. Da forma como ela colocou, é tudo muito bagunçado, um ritmo atropelando o outro. De resto, faixas perfeitas, e Versions of Me, suprassumo do pop.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s