Categorias
2021

TOP 2021: As melhores faixas do Pop de 2021

E aí, meu povo, como estão?

2021 finalmente acabou, encerrando mais um ano de caos nesse Brasil enquanto o Presidente está de férias (Não comentarei sobre, porque vai que a PF aparece aqui em casa). E para isso, vou comentar sobre as melhores faixas de 2021 do pop internacional além do Asian Pop e os melhores álbuns do ano, já circundando o próprio Kpop e afins.

Sem mais enrolações, bora começar? Lembrando, essa é uma lista sobre o meu gosto pessoa, os seus gostos não interferem aqui, escolhi algumas que marcaram minhas playlists e sem posição, porque eu fiquei com preguiça de elaborar mais um TOP sabe sei lá quantos.

De toda aquela treta que deu entre Sabrina X Joshua X MC Detran, vulgo, Olivia, a melhor faixa que saiu disso tudo foi Skin, pois a faixa é uma balada romântica de arrancar o couro e os chifres, exalando a dor da mulher, um vocal perfeito e angelical com um high note desbravador. Apenas uma música incrível sem colocar defeitos! O único BO mesmo foi que Olivia e Sabrina brigaram por um homem tão sem sal e básico como o Joshua, puta merda! Um homem feio, pelo amor!

Antes da Demi começar a soltar umas sandices de ET por aí, ela passou por umas situações tão tensas que não citarei aqui. Mas o que podemos comentar foi que o feat dela com a Ariana era o mais esperado, até pelo poder do gogó de ambas como em saber o que elas trariam na letra. Claro, poderiam só socar um lyrics com nada a ver com nada, mas a Demi contou sobre suas crises, e também conversa um pouco com o que a Ari passou, ela também passou por momentos tensos nos últimos anos, felizmente ambas estão bem. E a música é um primor musical.

Nem só de bladinha sentimental que vive a gay, o caloteiro que não paga os dançarinos, vulgo Todrick Hall lançou seu terceiro álbum de estúdio com muita faixa a cara da Drag Queen, e essa Queen é tudo, uma farofa de balada tão gostosa que exala drogas sintéticas só de ouvir muitas vezes. Felizmente sou um homem mais brasileiro que vive de suco de cevada quando vai às festas e posso rebolar com essa aqui quando eu conseguir ir a uma balada, porque né? Tá osso!

O nosso ShingsaDong Tiger brasileiro se juntou a com a nova cara do pop rebolativo, deram o golpe e tiraram o William Wonka da coordenação da Fábrica e lançaram o hino Atenção. A faixa é um WTF atrás de Que porra é essa?! se você pensar muito na letra, mas se for olhar o ritmo, é uma perfeição perfeita, rebolativa, o hino das farofas crocantes que o pop brasileiro lançou. E eu até diria para ele lançar uma nova dessas ano que vem, mas ele já lançou o feat com a Anitta, que é igualmente bom!

Falando em a cara do pop, o que o Lil Nas X fez esse ano é de tirar o fôlego, Montero é um hit que serviu para mostrar que ele viria com força, mas Industry Baby é de impressionar, ele entregou tudo tanto no clipe quanto no som da música, e toda a história toscamente elaborada, as referências e tals. E não podemos esquecer que todo o lucro desse single ele reverteu para auxiliar em julgamentos de presos nos EUA.

Saindo do mainstream para o indie, esse single da Aurora é perfeito, apenas, tudo o que ela fez nele, desde a música etérica sinistra com um clipe creepy nonsense, é uma faixa perfeita dela, rainha do indie ultimamente, e realmente parece um single que ela amou fazer e gravar.

Falando em Pop Perfection, o que foi esse single da Charli? Sem defeito, aquele pop clássico dos anos 2000, a estética sexy mas sem ser brega, aquela coreografia de quem não tem cardio o suficiente para refazer, tudo que ela se propôs aqui ela entregou e muito bem, perfeição!

Falei dessa umas semanas atrás, quem diria que o melhor Pop desse ano seria da Cleo com a Conká e a Azzy? Acho que ninguém, e elas entregaram tudo: visual, sonoridade, uma letra que não é forçada, umas rimas que não ficam parecendo forçada letra de música do SBT, e aqui elas fizeram tudo! Rainhas das Trevas.

***

E esses foram os singles que eu mais amei do ano, mas agora bora aos melhores álbuns do ano?

Batidão Tropical não é o álbum que mais ouvi no ano, foi um álbum bem coeso bem feito, é uma álbum interessante, tem a sonoridade que ela amou trazer e entregar ao mundo o estilo. Ela caprichou aqui, então não há como não afirmar ser esse um dos melhores do ano.

Duas faixas desse álbum do Daniel apareceram no meu TOP 100, mas específico em #12 e #2 lugares. Mas o EP todo é muito bom, ele colocou as melhores faixas como single, mesmo Antidote que poderia ter dado lugar para Digital, mas eu entendo bem a escolha dele, as faixas conversam principalmente na sonoridade e letras, foram ótimos comebacks.

Planet Nine: Alter Ego é um dos melhores álbuns do ano, o que o OneWe fez aqui é de perder o fôlego, cada sentimento nas músicas, cada delicadeza nas melodias, e sem contar que Aurora é #1 aqui no blog, realmente não preciso comentar mais.

O último álbum OT6 do (G)I-dle não tem defeitos, apenas aceitem, é um dos álbuns mais coesos do grupo (Até mesmo pelo tamanho do álbum, o I Trust é muito curto se pensarmos em inéditas). Do começo ao fim você fica entretido nas faixas, você fica vibrando por cada melodia, e começar com Hann e encerrar com Dhalia foi uma ótima maneira de fazer um ótimo ciclo.

Antes de tirar umas férias no exército, Baekhyun deixou dois EPs, um coreano e um japonês para os fãs, ambos são muito bons, coesos dentro de cada trabalho, eu achei o japonês superior ao coreano, mas não fica para trás, o que peca mesmo no comeback coreano é a title, Bambi é fraca.

Dreamcatcher sempre faz dois comebacks por ano, e os dois sempre entregam álbuns bons com b-sides boas, mesmo não tendo quase coesão alguma entre elas, a produção dos álbuns fez muito bem aqui, não tem como negar.

E dos álbuns que vira e mexe eu escuto por inteiro, temos Planet Her da Doja Cat, Doce 22 da Luisa Sonza, If I Can’t Have Love, I Wnat Power da Halsey, Querencia da Chung Ha, Savage das Aespa, AMY da Ailee, I AM ME. do Weki Meki, Only Lovers Left do Woodz, ALPHA da CL, as perfeições do PIXY (Menos Wings), Windy da Soyeon, a discografia do Kingdom, Summer Queens do Brave Girls e os remixes do After We Ride e [&] do Loona. Não tem muito o que falar dessas, então fica de citações, fora Shinee, Ateez, EXO e de se perder de vista com a minha playlist com mais de 500 músicas!

E gostaria de agradecer a todos que acompanharam o blog esse ano, a cada comentário, postagens, retweet, cada fofoca e risada que comentamos e fizermos, um ótimo ano novo a todos, que 2022 seja menos pior que esses últimos anos e bora para frente para mais um ano do Palpites Alheios!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s