Categorias
Minha playlist

Minha Playlist: As músicas de Disband não tão Disband assim

E aí, meu povo, como estão? Vamos aproveitar esse domingo para comentarmos uma pauta aleatória aqui e ali?

Esse ano tivemos uns disbands bem esperados e outros que nos pegaram de surpresa com alguma polêmica, outros que foram para vala, tão lá ainda, mas as polêmicas tiveram 1001 reviravoltas que nem eu sei mais para onde pararam. Claro, ainda nessa pauta faltará uns disbands bem expressivos, tanto que a parte 2 já está encomendada (Eu só demoro para lançar mesmo para não ficar repetitivo as pautas).

E o que seriam disbands nem tão disbands assim? As vezes o grupo simplesmente morre depois de um lançamento super forte, as vezes ele vive num hiatus em que todo mundo sai da empresa e vamos fingir que eles voltarão um dia. E como eu disse, parte dois já está encomendada, alguns que não estão aqui, provavelmente estarão na parte dois.

Crayon Pop – Doo Doom Chit

Crayon Pop viveu um viral imenso na carreira, mas o grupo só foi ladeira abaixo depois de Bar Bar Bar. O último lançamento do grupo antes do disband foi Doo Doom Chit, que serviu de inspiração para metade da discografia viral do Momoland. A faixa mergulha num bubblegum pop mesclado com eletrônico, que remete totalmente ao que a Gaga tentou fazer em ArtPop, não é a toa que as meninas abriram alguns shows da Gaga.

Mas quando pensamos em disband, com uma faixa dessas, animadas, totalmente energética, nem parece que realmente o grupo já estava para dar disband depois, não é?

(G)I-dle – Hwaa

Essa aqui a fanbase vai querer correr atrás de mim com uma tijolada, mas que Hwaa é o disband song do OT6 do (G)I-dle, isso é fato. Enquanto elas tiverem contrato com a CUBE, nem sinal delas lançando música com a Soojin, e como ela simplesmente desapareceu do mapa, difícil ela querer voltar a vida de idol por enquanto.

E olha, eu acho que o grupo só sobrevive mesmo porque tem a Soyeon botando a mão na massa pelas meninas, mas com a Minnie e a Yuqi em seus respectivos países com a agenda lotada e a CUBE se esforçando para dar nota oficial sobre rumor que sai no 10º círculo do Twitter, a empresa tem zero intenções de fazer um comeback do grupo tão cedo.

Mas pensem assim, se essa for o disband song das meninas, pensem que elas encerrarem de uma forma gloriosa, porque foi a maior música delas, o tanto que vendeu e o tanto de Wins que levaram, rasparam todos os music shows.

F(X) – 4Walls

Eu não sou tão fã de 4Walls, prefiro umas palhaçadas como Eletric Shock e Red Light. Mas que essa 4Walls é uma faixa totalmente inesperada para um disband song, ainda mais que a saída da Sulli foi mais do grupo e não da empresa, fora que era uma música que a SM ajudou na estruturação de um novo estilo que percorresse o Kpop.

SM sempre foi vanguarda, hoje que deu uma queda brusca nesse quesito, mas o tanto de grupo que vieram pós essa faixa não era para o grupo simplesmente ter morrido mofando no porão, mas foi o que a SM fez, nem o Girls’Generation ou o EXO passaram por isso. Isso é o problema de ser grupo B das empresas (Só ver o Winner e o iKon, que a YG sempre tratou o Winner de qualquer forma, mas depois deu mais moral quando o iKon perdeu o mínimo de força).

X1 – Flash

Eu amo o conceito de Flash do X1 ser o debut/disband do grupo, ainda mais que eles foram o rookie do ano de todas as premiações (TXT nem tinha forças na época comparado a eles). Flash, na verdade, era aquele começo em que grupos masculinos começaram a superar grupos femininos como estilo queridinho. Enquanto Wanna One tinha faixas mais tryhard, como Boomerang, Flash já mergulhou em um eletrônico menos machão, tanto em coreografia como em caracterização do figurino deles.

Em seguida, tivemos grupos que trabalhavam uma dualidade menos “máscula”, o que contrapunha com grupos femininos que mergulhavam em um tryhard urban a la BlackPink (E ódio que Lovesick Girls e As If Its Your Last não hitaram tanto assim para os grupos seguirem as duas linhas).

IZ*ONE – D-D-Dance

Se considerarmos Panorama, o disband song do IZ*ONE até que teria sentido, pois a faixa final do grupo remete a toda carreira curta das meninas, mas tem todos os traços, mas pensando que o último lançamento oficial comercial delas foi D-D-Dance, facilmente podemos pensar que não tem nada a ver essa aqui ser a disband song delas.

É uma faixa energetica, mergulhada no ball room e que só vou aceitar como um pré-release para o Ive da Starship, que já tem confirmada a Wonyoung e a Yujin. Eu espero que a Starship mire nesse conceito, não será tão inédito, pois temos IZ*ONE e o Lightsum roubando já o conceito, mas deixa o tryhard conceitual para o PIXY, elas sabem fazer melhor (Fora que a Wonyoung tem ZERO apelo para bancar a durona).

KARA – Cupid

Kara já tinha passado por diversas line-ups, saída de integrantes e tals, disso a DSP decidiu dar um disband. Mas nossa, gente, nem um single baladinha para a fanbase chorar? Deixaram como último single uma farofa crocantíssima entregue às gays para dançarem sensualizando delicadamente numa balada! Cupid é uma faixa super sensual, desde o vocal das meninas, até as entrelinhas da melodia.

A música não chega a explodir no refrão, mas tem um crescendo forte, e ainda bem que disbandaram com essa, por que imagina se seu último ato fosse Mamma Mia? Eu teria surtado como deixaram ir embora nessa outra perfeição.

Era só um grupo dessa geração encarnando o sexy concept de forma consciente (Mystic perdeu a chance de fazer o Billlie ser assim, não sei como são as idades das meninas, mas não precisava ser mais um BlackPink, não é?).

Lovelyz – Obliviate

Essa aqui é super recente. Lovelyz meio que já tinha data de validade considerando que o grupo demorou uma vida para outro viral depois de A-Choo, e com a Woollim perdendo todo o hype já nulo que o Queendom deu a elas, Obliviate foi uma surpresa, pois era o amadurecimento que as meninas queriam tanto. Moonlight, o single do Comeback War delas, era um prelúdio para esse estilo, mas aqui elas mergulharam em um estilo etérico, místico, nada celestial, mas com muita magia.

Realmente eu espero que algum grupo pegue inspiração nesse estilo e apadrinhe para si próprio, espero muito que vinguem o Lovelyz.

Mas penso que o disband do grupo chega a ser até amargo, por toda a situação que a Woollim criou por ganância.

HelloVenus – Mysterious

Direto do vigésimo círculo da nugulandia, temos as mães do Weki Meki e do Pristin (Lembrando que o HelloVenus foi um grupo em conjunto, na época, da Pledis e da Fantagio, que ficou somente da Fantagio no final). Eu sabia que o grupo tinha disbando do nada, mas sério, eu me espantei que Mysterious foi a última delas, porque parecia que tiveram outras depois.

E pior de uma disband song ter um roteiro mais elaborado de MV, que fica aquela sensação de história não completa porque não deu tempo do autor escrever mais. Fantagio me paga por não ter dado uma continuação e um final descente ao grupo, mereciam mais.

AOA – Come See Me

A morte do AOA, mesmo com a saída de três integrantes, foi inesperada pelo grupo ter saído do limbo depois de três vezes. Mas claro, com toda a história da Mina e tudo o que saiu depois, podemos considerar que o grupo faleceu de vez mesmo, até porque o tal AOA White não saíra do papel mesmo, logo a Chanmi ou a Hyojung saí da FNC também.

Mas Come See Me ser o último ato do grupo, um dos que entregaram o mais forte do sexy concept, e parecia que isso faria esse estilo voltar ao gosto popular, uma vez que elas fizeram aqui um conceito sexy não tão intenso como Miniskirt ou Like a Cat, mas deu no que deu, e só temos lembranças mesmo das músicas sensuais.

CLC – Helicopter

Por fim, o disband do CLC teve vários atos, parecia que depois de Hobgoblin, as várias baladinhas que vieram depois anunciava o prelúdio do fim. E depois tivemos o hiatus pós-Black Dress e nada de comeback, e disbandar com a perfeição de Black Dress seria péssimo, mas depois de um ano sem muita atividade, Devil se mostrava ser o último ato delas, mas tivemos Helicopter. Depois tudo desandou, com saída da Elkie, Yujin no Girls Planet 999, anunciando que a CUBE enterrou mesmo o grupo.

Disso, Helicopter virou a disband song delas, não é? Afinal, grupo completa 7 anos agora em março de 2022, menos de seis meses, e provável que os debates para as renovações de contrato já estão ocorrendo, menos para a Eunbin, que entrou no grupo bem depois, mas disso, as outras cinco devem bater perna de lá e seguir a vida de cada uma.

E com a Sorn entrando sempre em uma polêmica nova (Sendo que essa última eu achei a mais nonsense de todas, tanto que eu vi vários lados da história, vi tudo o que se passou e dá para ver que foi um mal entendido bem intenso), a CUBE nem dará tanta moral assim para ela, e com o feat dela com uma idol chinesa, capaz de estourar mais na China, e já sabemos como a China nutre os grupos.

E nossa, quantas faixas icônicas que foram o último canto desses grupo. E faltaram várias, podem ir comentando quais vocês acham que precisam estar, eu já tenho 7 faixas para um próximo post, mas deixarei no suspense para vocês, quero saber dos comentários de vocês.

3 respostas em “Minha Playlist: As músicas de Disband não tão Disband assim”

gostei da lista amg, na próxima vc podia colocar mago do gfriend que é uma música mt maravilhosa e que elas poderiam ter ido mais além e mostrado mais do amadurecimento musical delas se o grupo tivesse continuado…

Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s