Categorias
PIXY

PIXY buscam suas asas em Addicted e caem ainda mais em armadilhas

E aí, meu povo, como estão? Vamos falar das nossas fadas sem asas?

PIXY é um dos vários grupos que debutou esse ano, usando de um conceito batido musicalmente falando, mas com um enredo em suas histórias muito bom, o fato de elas serem fadas que perderam suas asas (E assim como o Aespa, eu tenho vontade de trazer um quadro novo analisando esses clipes que possuem, ou tentam, ter uma história por trás).

Diferente do Aespa que prometeu demais para o que entregou inicialmente, elas vem entregando pouco a pouco no visual, mas lembrando que são lindas e muito bem trabalhados os clipes. Mas também, assim como o Lunei disse ontem, não dependemos apenas de conceito, mas a música tem que ser boa.

Wings foi uma tragédia, mas trouxe holofote a elas. Let Me Know começa arrumar a bagunça, e temos esse comeback para arrumar e trazer mesmo o conceito das meninas.

Addicted parece realmente uma faixa de full álbum, pois ela trabalha todos os aspectos das faixas anteriores e vai trabalhando muito bem cada parte que eu achei que elas tinham falhado anteriormente. Desde os versos em que elas mais falam do que cantam, vimos que arrumaram isso no primeiro comeback, e aqui elas mantiveram os dois pontos, trechos em que falam para dar aquele ar narrativo, mas também elas mostram o vocal, principalmente no refrão.

E bom falar nele, pois o refrão sempre foi um problema, desde ser muito barulhento sem motivo em Wings, mas em Let Me Know elas arrumaram aos poucos, sendo que era algo mais etérico apenas o último, o que aqui elas arrumaram, fazendo um refrão vocalizado e teatral no ponto certo. Elas conseguiram carregar o lado dark do tryhard urban mesclando com os sintetizadores para o lado melódico. Eu realmente amei o refrão, que é dividido em duas partes, é bem potente.

Com isso, o MV não fica para atrás da maestria com que o grupo vem trabalhando. O grupo apresenta uma coreografia muito impactante, ela é realmente teatral em todos os aspectos, desde movimentos que remetem a destruição, asas, é uma coreografia forte e delicada, elas sempre trabalham a harmonia com bastante força.

E claro que eu poderia ficar aqui falando sobre a história do MV, pois eu consegui pegar alguns pontos bem curiosos. Eu ainda não identifiquei onde elas estão, que seria o enredo pós-Let Me Know, mas podemos perceber que uma das integrantes está aprisionada (A cena acorrentada no subsolo), em que, aparentemente, alguém está usando da energia vital dela para algum plano, ela mesma é atingida por um raio e desaparece em meio a cinzas.

Além disso, podemos citar ela enterrada e acordando no final. A famosa lei da química “Nada se cria, tudo se transforma”. E como falamos de uma faixa que fala sobre vício, eu precisaria analisar a letra com mais calma, junto das cenas, para trabalharmos melhor essa história.

E encerrando, eu sei que o conceito é dark demais, o Purple Kiss começou assim, mas não continuaram, e que essa tipagem é algo até que batido no Kpop, mas vocês sabem que eu gosto de conceito quando bem trabalhado, e uma história que distoa (Aespa tenta isso ainda). E olha, tô quase entrando para o fandom, só esperar.

E eu faria muito mais comentários, tanto sobre o álbum, como sobre o MV, mas está uma pauta comprida demais. Como eu estarei num feriado fazendo vários nadas, eu vou trabalhar melhor algumas pautas sobre o Aespa e o PIXY, espero que gostem desses novos planos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s