Categorias
KPop MNet

Comentando as performances do MAMA 2020 – Parte 1

E aí, meu povo, como estão? Bora palpitar nas apresentações do Mama de ontem? Mama é aquela premiação que você duvida 3x antes de pensar se teve boicote, principalmente com grupos femininos. Agora, se você for o BTS, fica sossegado que você não sofrerá boicote, pois a MNe não quer as armys incendiando a CJEnm. Mas paremos de enrolação e vocmos falar dessas perfomances.

TAEMIN – Criminal + Heaven + IDEA

O que foi essa estrutura que a MNet disponibilizou para os idols? Acho que nunca vi o MAMA acertando tanto assim. Ao menos, arrumou o fiasco do ano passado. Taemin fez um medley rápido de Criminal e Heaven. O pecado mesmo foi ele ter dado toda atenção para IDEA. Nem para ele colocar a BoA num feat, já que ela solta o “Killing me softly” toda a hora. A performance dele foi um brilho, mostrou como ele é um ótimo dançarino e cantor, o solista de mão cheia.

Jessi – Nunu Nana

Vencedora por honra de Best Hip-Hop (Ao menos, não foi o BTS que levou com ON), depois de muito tempo, Jessi voltou aos palcos do MAMA para uma performance ótima de Nunu Nana e para causar com a OMS, pois haja dançarina por m². Mas valeu muito a pena, pois ela entregou uma apresentação excelente, com vários efeitos e um cenário que ela nunca deve ter tido na vida.

Hwasa – Maria

Velha de guerra no MAMA, o ano que essa mulher mais trabalhou e mais deu o nome, não poderia não ter Hwasa cantando Maria. Ela entregou uma intro mais poderosa, mesclando com um dark trap, para depois soltar o refrão de Maria, aquele dance break perdido e o refrão final. É até explicado a performance dela ter sido curta, pois ela voltou depois com o Mamamoo.

Jessi X HwaSa – GANG(MAMA Ver.)

Creio que a performance mais esperada das solistas foi a colab entre a Jessi e a Hwasa. Elas trouxeram um cover de Gang. A faixa é super animada, traz muito a essência das duas, e foi uma performance bem carismática, até porque elas carregam carisma sem se esforçar muito.

Enhypen – Into The I-Land + Walk the Line + Given-Taken

E claro que a MNet ia chamar os novos pupilos da emissora, fora que a Big Hit molhou bem a mão da CJEnm. A performance teve uma intro com a música do I-Land, mais uma b-side deles, e eles encerraram com a title do debut. A performance deles não teve tanta diferença, o que realmente fez a diferença foi o palco mesmo, que apresentou toda a elaboração de clima medieval místico, para conversar com a faixa. O que acho interessante é que sempre em performance de premiações, eles não mudam nada, mas sempre socam um dance break que nada tem a ver com o resto da faixa. (G)I-dle faz isso nas performances semanais, ao menos.

Cravity – Break all the Rules + Dramarama e Shoot Out (Monsta X Cover)

Para rookies do ano e por terem pupilos da MNet aqui, poderiam ter soltado mais money para essa performance deles. Apesar de usarem o palco como um todo, ficou simples demais, ainda mais se contarmos com a title de debut ser ridiculamente tosca. Ao menos, poderiam ter dançado Flame, que é melhor. Sobre os covers do Monsta X, falta muito Whey Protein nesses garotos, ainda mais nos coisinhos que fizeram cover de ShowNu e de WonHo.

Monsta X – BeastMode

Falando nos donos da p**** toda, eles começaram com BeastMode, aquela tentativa frustrada de filho entre as demos do MADE do Big Bang e do projeto NCT. O que vale a pena mesmo são os meninos biscoitando e o palco em chamas.

Monsta X – Love Killa

Agora vamos a performance dos donos da p**** toda que realmente merece a nossa atenção. Love Killa tem uma aura gangster, nisso eles todos se vestem de terno vermelho vinho. IM e ShowNu com as camisas aberta só no puro biscoito, querem mais o que que isso? Só faltou estarem dançando em roupas molhadas.

Oh My Girl – NonStop

Pelo ano que o Oh My Girl teve, eu jurei que elas teriam ao menos 10 minutos de apresentação, e que a Yooa faria seu solo também. Mas recebemos apenas uma versão de NonStop com o instrumental remixado com alguma fase do Mario World. As meninas estão lindas, tudo está no ponto, só o cenário que achei simples, ainda mais que usaram junto com o (G)I-dle, afinal a performance delas foi em conjunto, o que aumenta ainda mais a pataquada, pois ambas mereciam performances solos, mesmo que tivessem a unit depois.

(G)I-dle – Dumdi Dumdi

Sério que esse foi o arranjo que a Soyeon elaborou? Socorro, que ninguém avisou? Bom, mas eu não vi ninguém falando sobre apropriação, então deixo aqui o meu ponto. De resto, apesar de eu querer um ao vivo de Oh My God e esse ano ser o essencial para ser A performance catédrica que essa faixa merece, Dumdi Dumdi combinou bem com NonStop (As performances são conjuntas), e essa roupinha de DIY é tudo e já quero todas.

OH MY GIRL X (G)I-DLE – Bad Girl Good Girl

Sério que foi um cover que me fez pensar em gostar dessa faixa? Só esses grupos para fazerem isso. Sobre a unit, eles acertaram bem, pois o vocal da Yuqi contrastou com a das demais meninas, a Soojin veio pelo apelo sensual. Das meninas do OMG, só conheço a Mimi, o que foi bom para dar um holofote às demais, não socar o holofote na Jung ou na YooA. E eu só queria que o rap original fosse mais visado, gostei da interação entre a Mimi e a Soyeon.

The Boyz – Open the gate of hell + The Beginning of the End(REVEAL + CHECKMATE)

The Boyz caprichou nesse nome, hein? E pelo amor, o financiamento que esses meninos tiveram nessa performance. Bom, a MNet tinha que bajular, para que eles não caiam fora do Kingdom ano que vem. Aliás, uma das leitoras do blog disse que o Stray Kids confirmou presença, e como eles fizeram um feat com o The Boyz e com o Ateez, podemos deduzir que o Ateez é um dos convidados para o Kingdom também?

Reveal foi o comeback do primeiro full álbum dos meninos, e teve aquela performance esplendida no Road to Kingdom. Aqui, eles refizeram a performance, colocando mais adereços. Claro, usando da estética medieval, de guerra, e de toda a estrutura que a MNet disponibilizou. E depois do break de dança, aquela palinha de Checkmate, o single da Comeback War deles.

Ateez – Dona Eis Requiem(INCEPTION + Answer)

Ateez fez fazia parte da unit medieval desse MAMA, sendo que deram sequência à performance do Ateez. Eles deram um arranjo mais épico a Inception, que é uma faixa já com um teor mais melancólico, assim como Answer, que aqui combinou melhor, apesar de eu achar ainda uma faixa meia boca.

Stray Kids – Victory Song (MAMA Ver.)

Estética medieval, coesão e coerência, Stray Kids conseguiu lançar um bate lata barulhento com um estilo épico. Já podemos esperar o Oh my god deles ano que vem (Se for um Back Door 2.0, estou feito).

THE BOYZ X ATEEZ X Stray Kids – Triangular Fight

Por fim, a performance juntando esses grupos numéricos aqui. Tá que foi mais uma performance de dança dos main dancers, mas ainda assim a interação foi legal de ver, só a minha raiva com a MNet que soltou a verba para esses 3 enquanto muitos girlgroups e idols femininos não tiveram nem metade disso.

E por aqui está a primeira parte das performances, pois foram divididas em 3 partes, pois teve muitas apresentações.

***

Oi, pessoal, como vocês estão? Então, vim aqui fazer uma promoção minha. Para quem não sabe, eu também sou escritor autônomo e independente, possuo algumas histórias publicadas no Wattpad e no Nyah! Fanfiction. Deixarei os links abaixo para quem quiser me seguir lá e me acompanhar, estarei fazendo postagens novas, além de revisões das histórias já lançadas.

Agradeço desde já, do fundo do meu coração, quem puder fazer isso.

Clique aqui para ir ao Nyah! Fanfiction!

Clique aqui para ir ao Wattpad!

7 respostas em “Comentando as performances do MAMA 2020 – Parte 1”

Eu fiz as contas foram 9 girl groups
E 18 boygroups separando as UNITs do nct e não contando com as performances juntas ,e isso também não contando as performances conjuntas das meninas …

Curtido por 1 pessoa

Foi mto desigual, e esse ano teve a força de MTA solista, era para até a Chung Ha ter participado (Mas ainda bem que não, já que foi diagnosticada com Covid). E se levar em conta que as performances foi desigual, pq pelo amor aquele cenário do OMG e do Gidle comparado com o do The Boyz, Ateez e Stray Kids

Curtido por 1 pessoa

Nem o mamamoo conseguiu fazer muito nesse ano,não teve nada muito impactante e super incrível ,triste pois esperava mais ,mas fazer oque,né??!

Curtido por 1 pessoa

Eu só assisti as apresentações das músicas que gosto, então obviamente eu vi o de Stray Kids (aliás me achei ali na leitora que comentou a participação deles no Kingdom kkkk), e outras poucas. E concordo com vc, foi muito investimento nos boy groups, tipo essa pataquada de Triangular Fight e todo esse conceito medieval, que eu francamente estou começando a abusar, só para anunciar a participação no Kingdom. Enquanto botaram as meninas para perfomarem juntas, e a colab do milésimo cover de Good Girl Bad Girl também não foi essas coisas, até a apresentação de Twice eu achei super simples. A Jessi e a Hwasa foram maravilhosas, mas a apresentação como um todo de Mamamoo tbm não me agradou muito. Enfim, eu comento mais nas outras partes.

Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s