Categorias
AleXa Álbum Review

AleXa reencarna o Mad Max e corre atrás da Revolution

E aí, meu povo, como estão? Animados para o retorno da nossa musculosa russa que veio revolucionar o sci-fi?

AleXa lançou seu primeiro EP esse ano, mantendo-se bem ativa, pois Kitty Run rendeu bons special clips para ela. Como era esperado, ela fez um outro retorno após anunciar que Villain seria um pré-release para esse comeback oficial. Além disso, tivemos aquela participação com The FatRat que faz parte do catálogo de músicas que não consigo passar pano para ela. Mas vamos comentar se ela mesmo entregou a revolução.

Vocês podem falar o que for da música, mas reclamar da videografia dela é pedir para cometer heresias, pois todos os MVs oficiais: Bomb, Do or Die e Revolution são impecáveis. Villain acaba sendo mais um performance vídeo, mesmo que tenha um pouco da história sci-fi que ela tem trazido desde o debut, mas nada impede de fazer fãs novos acompanhar os lançamentos mais recentes. Claro, vai dar aquele gostinho de “O que ela quis fazer aqui? Quem é esse cara mascarado?”, o que provavelmente fará muitos a buscarem os MVs antigos.

Mas falemos desse comeback em si. Revolution, como eu havia tacado a bola uns dias atrás quando saiu as prévias, prometia não ser a música mais tryhard dela, até porque ela debutou com Bomb que é o ápice do tryhard.

No final, Revolution é a canção mais pé no chão dela, pois não temos tantas pegadas inéditas, ela faz bom aproveito do eletrônico, trazendo elementos que sempre tentou e conseguiu encaixar na melodia, principalmente aspectos latinos (Al.Tropper, a música para a fanbase, apresenta claramente o funk brasileiro, enquanto aqui recebemos um pouco de reggaeton). A música tem um forte crescimento, conseguindo se manter firma do início ao fim e já me viciando.

Agora vamos falar do MV, e é difícil trazer palavras que não resumem perfeição e orçamento escorrendo pela tela. Claramente os clipes dela conseguem trazer bastante edição, um forte CGI em sua maioria, mas nada que retire aquele olhar de que colocaram essa mulher para andar sabe sei lá por onde nesse monte de deserto. Como eu falei, Revolution apresenta uma ligação com as histórias de Do or Die e Villain, então nas entrelinhas dá para notar a continuação da história, mas tem muitas cenas para preencher espaço, a cena da coreografia e aquele bitelo de trator que acharam num ferro velho de Seul para deslumbrar nossos olhos para essa perfeição cinematográfica que nos é dada.

O mini álbum Decoherence apresenta apenas duas b-sides inéditas, além de uma versão em inglês de Revolution e as versões instrumentais de Villain e da title.

Comecemos com Burn Out, ela tem um quê de faixa épica, tem muitas eferências de outros instrumentais de outras regiões do mundo, dando um ar universal, e conversando muito com esse aspecto de revolução que gostamos de ver. O refrão cai num EDM forte, com repetição do nome da faixa, mas mantém a força que a faixa precisa.

A outra inédita é Moon and Back, a primeira faixa melódica da AleXa. Ela é uma balad vocal com toques bem simples, ela segue numa mescla de piano com banda, além de alguns sintetizadores. Para uma primeira balad, ela conseguiu se mostrar bem forte no vocal, mostrando que consegue manter uma constante esse ritmo sem parecer forçado ou cansativo.

Nota final: 48/50.

Villain não caiu tão bem na minha playlist como eu esperava, mas faz a sua parte na discografia dela. O resto do EP está perfeito, não tenho nada a reclamar, apenas estou bem servido, assim como todos os Al.Troppers. A fanbase está revolucionando hoje. Apoiem esse comeback da AleXa e já estou pensando que quero pegar essa coreô, assim como as demais dela (Um ano ontem de Bomb e eu enrolando para pegar essa coreografia).

8 respostas em “AleXa reencarna o Mad Max e corre atrás da Revolution”

Vou te falar, cadê aquele povo que analisa e que ficam fanficando em cima dos clipes, pra me dá uma historia linda pra ler, pois ela merece ficção digna, já imagino uma distopia pra ela. A musica ainda nao me deu fator replay, mas não precisa com esse clipe.

Curtido por 1 pessoa

Não acredito que vc ia ignorar a rainha russa musculosa do Sci-Fi kpopeiro! Ao menos, vc viu e gostou da coreô haha 😗

Eu tenho pegado algumas, como Fiesta e SSOTS do IZone. Gravei já Me, Devil e Helicopter do CLC, enrolando para gravar CMIYC e Lil’Touch do SNSD, Dumb do Bvndit e Latata do (G)I-dle

Fora as que eu tenho na lista que não para de crescer hahaha

Curtido por 1 pessoa

Ai que demais xD Pensei em me exercitar fazendo coreos mas MORRO DE VERGONHA kkkk O que já tentei pegar foi Gee e Eletric Shock (há 84 anos atrás kkkk) e View no ano passado… Quem sabe mais pra frente??

Capaz de até escutar o EP dela (vc viu a reação dela quando viu que 7 mil pessoas pagaram pra ver o show? Uma fofa), tô inspirado pra escrever ficção estes dias e um álbum bem “fanficável” parece uma boa xD kkk

Curtido por 1 pessoa

A videografia dela é toda fanficavel, a discografia tbm, até tive umas ideias já para minhas futuras histórias.

E a AleXa é um amor de pessoa, se vc ver os vídeos de making of, ela é super simpática, e ela merece mto, por mais que a empresa seja grande, ela é a primeira artista, então tem mta pressão

Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s