Categorias
Golden Child

Golden Child retornam às raízes em Pump It Up

E aí, meu povo, como estão? Esperando os garotos dourados lançarem farofas psicodélicas?

Golden Child foi o primeiro eliminado do Rod to Kingdom, a Woollim esqueceu de pagar o boleto da MNet, eles lançaram a terceira parte da trilogia farofa conceitual nada heteronormativa, começada com Wannabe, seguida por Without You e encerrada por One (Lucid Dream). Mas como toda trilogia precisa ter fim, eles decidiram largar por um tempo aquele brisa toda e foram para o aegyo surtado deles.

Quem acompanha o grupo desde o debut, o que não é meu caso, mas já pesquisu a discografia deles, sabe que o estilo dos lançamentos iniciais eram nesse estilo de Pump It Up, uma coisa bem divertida, um lado mais Xuxa só para baixinhos, um adolescente gay que anda em meio a outros gays mais chiques e ficam fazendo queer baiting em séries estadunidenses em que a vida se resume à Disney.

A faixa é divertida, ela tem um crescimento ótimo, usando de sintetizadores para dar aquele dar mais jovial. Eles conseguiram dividir bem as linhas, os rappers tem sua hora, assim como os demais vocals. A title está longe de ser inédita, mas segue o que eu disse do WJSN CHOCOME, a função não é a inovação.

O clipe é bem colorido, eles possuem histórinhas bem secundárias, que dar aquele intervalo para a coreografia, e sabemos bem que os meninos são ótimos dançarinos, então fizeram de um tudo nesse MV para dar aquele ar totalmente diferente do que lançaram nos últimos três comebacks.

O single álbum contém mais duas b-sides. A primeira é That Guy, uma balad vocal, que mescla pop com rock, tem aquele ar de música de final de série dramática, em que eles comemoram depois de tantos casos na vida deles.

E temos Lean On Me, que segue a linha divertida do single de trabalho, mas ela consegue ser mais madura, com a estética oitentista que permeia o instrumental, tanto que eu creio que essa faixa seria um melhor single do que Pump It Up, mesmo que seja levemente mais genérico.

Foi um ótimo comeback, suspeitos que eles só devam aparecer novamente em algum especial da Woollim Family junto do que sobrou do Infinite, e Lovelyz e Rocket Punch, além dos irmãos mais novos que debutam esse mês, o Drippin. O single de trabalho acaba sendo bem menos comigo do que as duas b-sides, e elas fizeram mais efeito comigo do que Pump It Up, apesar de ser bem boa também.

Os meninos tem conseguido seguir uma sonoridade marcante, apesar de que isso está longe de achar que eles serão os novos Infinite que a Woollim está querendo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s