Categorias
BlackPink Time Machine

Time Machine: BlackPink decidem brincar com fogo

E aí, meu povo, como estão? Já compraram seus remédios para não adoecerem de amor na sexta-feira?

Continuando essa série espetacular de Time Machines para falar de lançamentos antigos de artistas que estão com comeback marcado enquanto temos artistas que não fazem comeback. Já que eu fiz toda uma análise da carreira do Loona, então nos resta os solos e units. Contudo, vamos aproveitar esse tempo em que receberemos o The Album do BlackPink, e torçamos para que não seja o único, para fazer aquela análise sobre o primeiro comeback das PretoRosa.

Depois do sucesso quase que espontâneo na Coreia do Sul com o seu debut, BlackPink continuava com seu projeto de debut, com o tão aguardado Square Two, que seria como o anterior, dois singles novos como singles promocionais que ambos receberiam MVs.

A track mais expressiva, isso é inegável, foi Playing With Fire. Ela já seguia uma linha entre os debuts, ela chega a ser uma uptempo animada como Whistle, mas também tem aquelas marcas fortes de pista como Boombayah, mas sem gritar um tryhard fodão de dançar endoidecido. A faixa caminha naquela entrelinha de sintetizadores, hiphop, com muita referência do eletrônico. Ela tem uma construção clara que a Yg sempre fez, desde o rap após o primeiro refrão, sendo esse um eletrônico sem canto e um encerramento que chega a ser diferente do refrão.

O clipe é um dos mais bonitos delas, tanto que eu prefiro esse aos demais antes da expansão ao ocidente, em que Kill This Love consegue ser o meu preferido também. Hoje o MV não é um dos mais visto das meninas, sendo que está na classe dos3 milhões, ficando bem atrás de lançamentos recentes e de outros que passaram do 1 bilhão.

Na época, e até hoje, alguns comparam com alguma faixa do 2NE1, mas eu digo que essa chega ser uma das que menos me remetem ao que a CL, Bom, Minzy e Dara lançariam. Contudo, nunca fui um BlackJack assíduo de conhecer a discografia inteira delas, ou um Blink que me importasse com elas requentando demo antiga como se grupos de outras empresas não fizesse isso, mesmo que de maneira menos descarada.

A outra faixa foi a primeira balada vocal das meninas, com Stay. Essa também conta com a Jennie na composição de música, e sabemos hoje que a YG simplesmente não deu os créditos a ela por ser uma empresa lixo, mas sabemos que isso não é novidade para ninguém. Stay, junto de Hope Not, são baladas vocais que se destacam na discografia delas por serem as mais diferentes e não caírem naquele farofão eletrônico.

A faixa possui uma batida gostosinha, ela tem um crescimento bom, um MV que parece um pós-apocalíptico, com elas para cima e para baixo e com a Lisa mudando de peruca inúmeras vezes por ter um cabelo extremamente fraco. Não chega a ser a faixa mais animada das meninas, até mesmo pela letra, em que faz a Jennie chorar toda a vez nos shows.

Square Two conseguiu ser, até o momento do lançamento lá em 2016, o álbum mais vendido das meninas, elas atingiram bons números, mas alegria duraria pouco e, eu já fiz um time machine sobre As If Its Your Last, e sabemos que o grupo ficou num hiatus de 7 meses até AIIYL e depois um hiatus de quase um ano até o primeiro mini álbum delas, o Square Up, o qual pretendo trazer um review amanhã, para prepararmos o terreno para o comeback oficial delas. Então fiquemos no aguardo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s