Categorias
Álbum Review Taylor Swift

Álbum Review: Taylor Swift – Folklore

E aí, meu povo, como vocês estão? Hoje é dia de sextar para esperar o sábado chegar?

De surpresa, Taylo Swift lançou seu oitavo álbum de estúdio na madrugada de sexta-feira, o Folklore, que se mostrou vir com uma proposta diferente do que ela já havia nos entregado, desde a mudança de country pro pop em Red e que se seguiu até a era Lover. Com isso, vamos analisar o que a Miss Americana nos entregou?

Link do álbum no spotify!

Track By Track:

Contendo 16 faixas, Taylor se mostrou contra a maré de álbuns mais curtos apenas para a venda, uma vez que ela consegue muito apenas pelo nome que carrega. Tanto que o álbum tem mais de 1 hora de duração e poucos álbuns atuais contam com esse tamanho.

O álbum abre com the 1, uma faixa calma, puxada para o piano. Ela mantém uma linearidade forte, não chega a ter nenhum desnível, uma faixa que abre bem o álbum, mostrando o estilo que perdurará pelo trabalho. A próxima é cardigan, que já eleva um pouco o ritmo do álbum, mas mantém todo o instrumental em piano. É uma track que grita single promocional (Como realmente aconteceu, pois essa já recebeu clipe), tem um crescimento forte, o vocal dela flui muito bem, entregando uma atmosfera calma e pacífica.

Seguimos com the last great american dynast, a qual segue o mesmo instrumental em piano. Essa aqui remete muito ao lado country dela quando falamos em balada, uma música que pode ser acompanhada com estalinhos, ou batidas no chão com o pé. exile conta com a participação de Bon Iver e uns haters da TS decidiu dar uma chance para essa música por causa dele. Como não sei quem é, vamos fingir que é conceito. É uma faixa que dá uma pausa nas animosidade anteriores, o vocal caminha bem, o doce dela com o grave dele.

my tears ricochet já usa um pouco de sintetizadores vocais para dar uma ecoalizada na voz, colocando um ar mais melódico na faixa. mirrorball segue a linha calma da anterior, colocando o piano e guitarra elétrica nas entrelinhas, causando um vibe natural. seven é uma faixa mais simples que as anteriores, não sei se é porque fica apenas no piano, ou se ela não chega ao nível das anteriores (Ou porque o estilo dela já está batido).

august já tem timbres mais alegres que a anterior, tendo uma leve explosão instrumental bem no meio da música. this is me trying tem um toque diferencial pelo uso de vocalizadores, o que deu um ar de eco, assim como a anterior my tears ricochet. illicit affairs segue o instrumental piano e um adicional de violão.

invisible string é uma melodia country, a que mais se aproxima das linhas originais da cantora. mad woman segue o estilo das anteriores, não muda muito. epiphany é ótima, mas se ela puxasse mais para um lado ópera, eu diria que ficaria mil vezes melhor, mesmo saindo da coesão do álbum.

betty éoutra track que mescla pop com country, tanto que vejo ela no show, lanternas ligadas e ela tocando num violão. peace e hoax são as duas últimas canções do álbum, ambas são calmas, com estilo semelhante das demais.

Nota Final: 85/100.

Considerações finais:

Primeiro, a nota final foi diferente, porque não tivemos muitos clipes e eu usar 25 de 100 da nota só para um clipe é bem exagerado, então vamos contar o pálbum todo como 100.

Segundo, não posso negar que o álbum é coeso e coerente. Repetindo, o estilo de piano, vocal, violão, vocalizador, tudo foi muito bem usado, criando essa atmosfera de bosque. O que senti falta foi uma faixa mais melódica triste, como Safe & Sound, que mantém essa linha e consegue ser bem intensa, o que seria uma jogada ideal para o álbum.

Contudo, eu achei um álbum cansativo de ouvir seguido sem que você esteja numa vibe para tals. Por exemplo, eu super me vejo no fundo do poço em um dia de ansiedade atacada e ouvindo esse álbum do início ao fim e me sentindo demais por não estar surtando. Porém, se eu estou numa vibe mais alegre, vou atrás do 1989 ou Reputation.

O álbum é excelente e eu me conheço, é um álbum que fará bem mais sentido comigo em momentos diferentes, não ouvir como eu ouço algumas músicas aleatoriamente.

***

Sairei do tema principal, mas isso é mais importante.

Pessoal, para quem me acompanha nas redes sociais, sabem que eu me posiciono em muitos casos, eu não poderia deixar de relembrá-los da situação em que estamos passando, com os protestos nos EUA, no Brasil e em demais lugares do mundo. Estou fora do meu local de fala e posso fazer pouco perante isso. Contudo, não podemos esquecer que o pouco que façamos já é uma ajuda, mesmo que dentro da nossa limitação.

Para ajudar o Black Lives Matter, acessem o site e vejam o que é possível para ajudar na causa, mantenham-se informados, compartilhem isso. É o que peço, muito obrigado, e até um próximo post.

Uma resposta em “Álbum Review: Taylor Swift – Folklore”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s