Categorias
April Álbum Review Mini Álbum/EP

Álbum Review: April – The Ruby

Aproveitando o hype com o comeback tão aguardado do April para amanhã, em que elas estão prometendo esfregar a maior farofa da vida delas na nossa cara, vamos fazer um álbum review do último EP delas, o The Ruby, que foi a era em que eu as conheci.

Title e MV:

Eu conheci o April pelo falecido blog do Doug (Hoje ele tem um novo), em que ele fez uma postagem sobre o comeback delas. Claro, da forma como ele falava, eu realmente criei certa expectativa (Mas como meu gosto e o dele raramente batem, então ainda fiquei com um pé atrás). Contudo, a música foi tendo essa crescente, um aegyo retrô que me cativou, mas quando chegou no refrão, o bubblegum com sintetizador grudou na minha cabeça e não saiu durante uma semana, que ouvi sem parar esse hino de música por um longo tempo, e vira e mexe retorna às minhas playlists.

O MV também é muito bonito de se ver e, apesar de não ter uma superprodução, ele é agradável aos olhares, as cores rosas puxadas não cansam (Apesar de eu ser averso aos tons pastéis). Além disso, a coreografia segue a linha correta: é simples com passos complexos, mas no refrão entrega detalhes marcantes que grudam na cabeça. Por que não virou um viral? Eu não sei. Ou virou e eu perdi o hype.

Track by Track:

O mini álbum apresenta apenas 3 b-sides e 1 instrumental, que eu nem darei moral. Inicialmente, abrimos com Oh-e-oh, um tropical house que dialoga com um aegyo bem claro. É gostosa de ouvir, mas não faz meu estilo a ponto de ir parar nas minhas playlists constantemente (Se fosse title, talvez eu desse moral, uma vez que Wish do Dreamnote e Bungee do Oh My Girl seguem o mesmo estilo).

Em seguida, temos Story segue um aegyo gostoso de ouvir, também com pegada de sintetizadores num synth pop bem marcante. Encerramos com Love Clock, como o próprio nome diz, tem muita referência de relógios, até mesmo no instrumental, que mistura o bubblegum com um rock (Muita abertura de anime deve seguir esse estilo).

Conclusão:

Title Oh My Mistake: 10/10;

MV Oh My Mistake: 9/10;

Álbum tracks: 21/30;

Nota final: 40/50.

Desempenho comercial:

Gente, assim, o April é bem flop, então essa 10ª posição na Gaon acho que foi o mais longe que elas conseguiram com o álbum (E impressionante que nunca acho as vendas semanais dos álbuns). O que é estranho tudo isso, porque até em uma pauta da Billboard elas saíram e o álbum foi aclamado pelo estilo.

Considerações finais:

O detalhe delas é que a title sempre chama mais atenção e as b-sides acaba sendo algo que os fãs mais gostam porque remetem muito ao início da carreira enquanto elas são mais atrativas ao público em geral com a title. Isso não é ruim, mas deixa a desejar, uma vez que eu gosto de ouvir umas b-sides e tirar uma pérolas.

E é isso por hoje, fiquem em casa, cuidem-se, bebam água, respeitem o isolamento (tá chato repetir isso, mas a situação não é das melhores) e vamos aguardar o retorno das meninas para amanhã… Beijinhos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s