Categorias
Álbum Review Full Álbum/LP Rina Sawayama

Álbum Review: Rina Sawayama – Sawayama

Rina Sawayana é uma cantora que vem fazendo bastante sucesso ultimamente no meio mais afastado do pop, mas vem se mostrando uma forte força do pop atual (Ou é apenas a minha bolha no Twitter que enaltece ela até cansar… Né, Doug?). Assim, como o novo álbum dela saiu nessa madrugada, vamos para mais um álbum review (Fiz mais esse semana do que no resto de vida do meu blog).

Track by Track:

O LP apresenta 13 faixas, começando com Dynasty, uma que mescla rock com ópera, e um vocal que combina com toda a estrutura. A segunda faixa é XS. Ela inicia como um rock, mas cai em um pop bubblegum (Sei lá, mas eu vejo a Britney lançando isso lá para o primeiro álbum ou o segundo dela).

STFU! é a terceira track do álbum, em que ela encarna um heavy metal bem forte (Dreamcatcher, por que choras?) como instrumental, deixando de lado um pouco o lado mais eletrônico, mesmo com ele ainda permeando alguns aspectos da música. Seguimos com Comme des garçons (Like the Boys), um dos singles oficiais, em que recebemos um eletropop com drops mais graves.

Akasaka Sad entrega um estilo mais único do que as faixas anteriores, ela tem uma mescla de eletrônico com melodias mais sintetizadas (além de entregar uma vibe música de vilã de filme de robo… Ou eu brisei nessa comparação). Paradisin’ segue um lado pop 8-bit, coisa que eu já vi em muitos álbuns, tem uma crescimento legal, mas soa básico para mim, principalmente comparado às tracks anteriores.

Love Me 4 Me é uma uptempo que caminha com referência rock e ritmos dance/disco, e que combinam bastante. A música toda é gostosa de ouvir. Bad Friend conseguiu ser uma das melhores para mim até agora, toda a construção dela, o instrumental mais pop bubblegum, é viciante pra c******. Depois, temos o F**k this world (Interlude), maior que muita música brasileira. Tecnicamente, por ser um interlude, não teria muito o que falar, mas segue uma estrutura instrumental semelhante a Bad Friend, e você sabem o que eu tenho a dizer?

Who’s Gonna Save U Now? é um rock que mescla com pop que eu imagino a Avril Lavigne lançando como b-side para encher espaço de algum LP dela. Claro, para a Rina isso é inédito, então ganha pontos fortes (Ou nem tanto). Tokyo Love Hotel é a midtempo que mescla vocal com sintetizadores leves em um instrumental mais chills (Eu vejo ela gravando um clipe um gramado enquanto rola por ele… Mas a gente sabe que ela não entregaria esse tipo de visual).

Chosen Family é uma balada vocal com um instrumental que varia de melódicos simples, até uma banda ao fundo, nada demais também. Por fim, encerramos com Snakeskin. Ela inicia como uma balada vocal, mais cai em um EDM ópera com acordes de sino e órgão ao fundo (Ela ganhou pontos comigo só por ser inusitada a transição), até cair num drop grave.

Clipes:

Comme Des Garçons (Like The Boys)

Eu já havia comentado do clipe essa música. Por mais simplista que ele seja, com esse fundo verde bem visível, além dos efeitos especiais bem duvidosos, ela entregou um trabalho bom, pois marca como ela segue a carreira dela, além de seguir um lado divertido.

STFU!

Se não me engano, foi o primeiro a sair para essa era. O clipe também não possui muita produção, mas dialoga bastante com o que a letra diz, e ele marca pela mescla do rock com o pop.

XS

Assim como a faixa dialoga com esse pop mais anos 2000, o clipe traz essa vibe, além de um apelo divertido que se mostrou nos demais clipes da era.

Conclusão:

Clipes: 25/30;

Álbum tracks: 60/70;

Nota final: 85/100.

Considerações finais:

Eu fiquei bem surpreso com a maioria das músicas delas, ainda mais que conhecia apenas por Comme Des Garçons (Que, ouvindo o álbum todo, conseguiu ser uma das mais fracas para mim) e eu perdi o apreço por ela há um tempo. Como não acompanho muito o trabalho dela para saber se essa é a sonoridade dela ou o visual, ou se ela atira para o que gosta no momento e os fãs que engolem a arte, gostando ou não.

As minhas preferidas são Bad Friend e Akasada Sad. E essa é a minha análise ao álbum dela, espero que gostem, comentem e curtam a publicação e até um próximo post, cuidem-se e fiquem em casa.

2 respostas em “Álbum Review: Rina Sawayama – Sawayama”

Essa moça é uma grata surpresa pro cenário musical.

Só acho que o remix de Comme des Garçons com a Pabllo Vittar deveria ter entrado no álbum como faixa bônus…

Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s