Categorias
Sem categoria

Álbum Review: Super Junior – Time Slip

Um dos maiores grupos do Kpop, Super Junior fez seu comeback com seu nono álbum de estúdio em outubro, umas duas semanas antes do Purpose da Taeyeon (Análise dele aqui no link). Por ser um grupo consolidado e mais velho, um comeback ao ano acaba sendo o essencial a eles, além de focar nos trabalhos solos de cada integrante. Então, aproveitando o comeback deles com o repacked dele, vamos para mais uma análise.

Singles e MVs:

Por ser um full álbum, os artistas da SM costumam vir com dois MVs, uma para causar um buzz para o comeback, e um oficial para o retorno. Em alguns casos, que a certeza é de repacked no futuro, temos apenas um MV. O MV buzz do SuJu foi I Think I. Com uma pegada latina, a música busca também característica de um tango lento, além de toda a construção ser feita em cima do retrô, uma marca clara do Super Junior. O MV é básico, se formos analisar em todo o contexto, porque foca os integrantes andando de um lado para o outro em uma lavanderia ou porão

Como comeback oficial, tivemos Super Clap. O instrumental segue o lado retrô, mas segue para um lado extrovertido, divertido, algo como um dance hall, o que também é marca registrada do SuJu, que vimos em Black Suit e Super Duper. O MV também segue a linha engraçada, com eles causando em um aeroporto com cenas totalmente bizarras, além de uma coreografia que combina com o grupo. O visual, na época do photo teaser, foi totalmente massacrado na Coreia do Sul por ser mais alternativo, um dos motivos usado foi a idade dos integrantes ser bem maior do que esse conceito molecão engraçado. Eu não achei ruim, até gostei demais dos dois MVs e dos conceitos (O que o povo quer ultimamente é teoria, e eu estou fugindo de comebacks que fazem isso).

Álbum tracks:

O LP abre com The Crown. Diferente de ambas as titles, essa faixa segue uma linha farofa try hard, algo bem farofento, que traz um instrumental que grita bem mais que os vocais. Seria uma title óbvia o NCT 127 ou para o EXO, mas para o SuJu fica muito fora da curva para eles. Em seguida, temos Game, que começa como se fosse uma farofa try hard também, mas o refrão traz um toque retrô, bem trilha sonora de filmes como Grease. Depois, recebemos Somebody New. Inicialmente, ela parece ser uma baladinha vocal, pois tem o piano como introdução. Porém, ela se eleva para uma mid-tempo com bateria e sintetizador, chegando até um pré-chorus que volta ao vocal e chega em um refrão que explode. Essa track é boa, tem um ritmo legal, mas é básica, achei ela bem música de encerrar álbum, não de estar no meio dele.

Skydive é a próxima. Essa é uma up-tempo com traços de EDM, mas daquele que foca no vocal, a não ser no refrão que fica totalmente no instrumental. Diferente da anterior, não é básica, até tem uma construção interessante, mas cansa facilmente. Heads Up segue a linha retrô, contudo, ela tem um toque de pista em sua construção, com acordes mais graves, além de puxar bastante de interpretações eletrônicas.

Stay With Me é a up-tempo que já indica que o álbum está acabando, porque ela tem traços de que “Olá, o fim está próximo” no sentido de filme. Certeza que se alguém comprasse e colocasse em filme da Disney, ela passaria batido, principalmente por ter mesmo essa atmosfera de música avulsa no meio da trama. No Drama é a balada de violão do full. Apesar de ter um instrumental com bons crescimentos, o vocal é estável, fica em um único patamar. Encerrando, temos Show, que grita música de fim de ano na Globo, ou música de fim de show, achei ela bem farofa, mas sei lá, nada inédito. Deve ter umas 100 b-sides na SM só com esse tipo.

Conclusão:

Singles: I Think I – 8/10; Super Clap – 13/15.

MVs: I Think I – 7/10; Super Clap – 15/15.

Álbum Tracks: 41/50.

Total: 84/100

Considerações finais:

Sobre os singles de trabalho, eles são bons. Contudo, uma hora eles tendem a cansar, mesmo sem passar pelo repeat alguma vez. Como eu falei, o MV de I Think I é bom, mas básico se compararmos com Super Clap, fotografia de ambos está ótima, mas um é mais forte que o outro. Agora, das álbum tracks, apenas Show ficou com uma nota baixa para mim devido à construção dela e do conceito. Stay With Me é bem passável, mas The Crown e Heads Up seguem como as melhores b-sides do Time_Slip (OBS: Eu jurei que esse álbum teria nota menor que 70, até eu me surpreendi com ele vindo com 84, talvez eu seja bonzinho).

E essa foi a minha análise do 9º álbum do Super Junior. Espero que tenham gostado e até um próximo post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s