Categorias
Análises Álbum Review Pop Pop Americano

Álbum Review: Selena Gomez – Rare

Um dos comebacks mais aguardados dos últimos tempos foi o de Selena Gomez. Depois de passar por muitos problemas de saúde, além de namoros certos e turbulentos, esperávamos que isso afetaria sua vida como cantora, tanto que ela vinha com outros projetos, como produtora executiva de 13 Reasons Why, além de lançar alguns singles digitais ou parcerias, como Taki Taki com o Dj Snake, Ozuma e Cardi B. Disso, seu segundo/terceiro álbum como solista tinha um apelo maior e muitos esperavam.

Singles e Clipes:

O álbum teve dois lead singles, basicamente: Lose You To Love Me e Look At Her Now.

O clipe de Lose You To Love Me não traz nada de inédito, pois foca na Selena em um fundo neutro com efeito preto e branco. Tem uma edição bastante considerável, aquelas cenas que se sobrepõe, mas apenas isso. Claro, visto o próximo single, era esperado algo mais básico. Teve um vídeo alternativo, mas fica preso nela sentada e tocando piano.

Enquanto isso, Look At Her Now ter uma produção bem maior, com cenas de dança e cenas focadas nela. Além de ter uma coreografia bem bonita, mesmo básica, a fotografia segue o lado vintage e retrô multicolorido que havia (Coisa que Bruno Mars usou em alguns clipes). A letra segue uma sequência do single anterior, como uma consequência da sofrência de LYTLM, como “Olhe como eu fiquei bem depois de termos terminado”. Da mesma forma que o anterior, teve uma versão alternativa, mas não é nada demais, apenas reaproveitando uma cena do original.

Rare é o terceiro clipe da era, além de levar o nome do álbum. Assim como a música, tem uma fotografia retrô, o que vimos em clipes como Back To You e Fetish, além de uma pegada tropical como o instrumental da música. Não sei vocês, mas os clipes estão se adaptando para o que o kpop está trazendo, bastante cenas entrecortadas com efeitos práticos quando não dá para usar o CGI. Acho que a Selena está usando bem disso e está ficando muito boa essa adaptação videográfica.

Track By Track:

O álbum se inicia com a Rare. A música abre bem o álbum, tem uma pegada fresh de um tropical mais simples, algo que ela fez com Bad Liar. Apesar disso, acho que a música cansa, talvez por ser longa ou pela melodia de fundo se estagnar em um mesmo nível. Depois, temos Dance Again. Essa é uma pista house oitentista, é uma música de passinho como referência. Ela tem o mesmo problema de Rare, o nível do instrumental não tem tanta evolução e fica neutro, porém por ser mais curta, ela não cansa tanto.

Look At Her Now foi um dos lead singles do Rare, então era esperado algo que chamasse muita atenção do público. E, olha, quem acompanha kpop sabe que isso é a cara do que a Chung Ha faria, ou talvez a Sunmi numa parte mais comerciável, principalmente pela coreografia mais básica. A música segue o lado house, bem mais agitado. Lose You to Love Me é aquela música para o ex que bate cartão nos álbuns atuais, mas sabemos quem é bem esse ex. O hate nela foi por ela ainda estar falando disso, mas amigos, vamos convenhar que todo artista faz isso, mesmo com o relacionamento novo e estável há anos, então baixemos a bola. Sobre a música, é uma delicinha de ouvir, pois é calma, tem aquele vocal ecoado dela que enche de charme as melodias, simplesmente perfeita.

Ring tem uma pegada mais vintage, semelhante a tema de filme de época, bem bar chique (Minhas análises deve ajudar um pessoal a separar as trilhas sonoras haha). O vocal dela é mais contido, combinando bem com toda a atmosfera. Vulnerable tem um lado mais house, com a voz dela mais abafada, porém tem um refrão que remete a um EDM mais simples, mais calmo, coisa que ela fez em Wolves, mas sem deixar o chorus melodiado sem o vocal dela. People You Know já é uma balada tropical com pegada de lambada, é uma delicinha de ouvir, já imagino um clipe dançante, com ela cantando no palco com aqueles microfones estilizados e o povo dançando embaixo.

Em seguida, temos Let Me Get Me, uma pista com pegada mais densa, com detalhes mais dark. Tem um sentimento como a anterior de lambada, um ar sensual bem nítido. Crowded Room é a primeira faixa com parceria, do 6LACK. Ela deixa a lambada de lado e fica mesmo na baladinha sintetizada, com vocais mais agudos durante o refrão, não tem nada demais nessa, o nível dela se mantém. Kinda Crazy volta com um toque mais animado, o refrão não tem uma mudança, mas eu super ouviria essa aqui enquanto tomo um café e fico estalando os dedos repentinamente, tem um ápice pós-chorus, porém não estoura.

Fun é animada, mas segue a estrutura de Bad Liar, tanto que até parece uma follow-up, não é ruim, mas previsível. Cut You Off é aquelas músicas com instrumental contido para mostrar o vocal da cantora, parece alguma demo que a Taylor lançaria, então não acharia estranho as duas fazendo uma parceria nesse estilo. A Sweeter Place contem a parceria de Kid Cudi. Como é a música que encerrar o álbum, teoricamente, pois a mais uma faixa na versão vinil, é uma música até que boa, não tem nada de diferente nela, a participação é bem apagada, mas é passável e legal de seu escutar.

Ainda temos algumas faixas adicionais que foram singles avulsos e participações na versão física da Target: Bad Liar, Fetish, It Ain’t Me, Back to You e Wolves. Todas possuíram clipes, sendo a de Wolves o mais aceitável, mas poderia ser melhor. Dessas, Fetish foi a mais fraca no quesito musical e Bad Liar pelo apelo nada comerciável que ela foi no ano da estreia, mas hoje muito mais vista com bons olhos pelos fãs. Back To You o Lyric Vídeo é bem mais bonito que o clipe oficial (Achei tosco, sorry) e It Ain’t Me é aquilo, o Kygo escrito, então sei lá, não me chama atenção.

A versão vinil traz Feel Me, cantada pela primeira vez em uma turnê dela, mas esquecida, até que rolou vazamento ano passado, tanto que nem mexeram nela, pois a versão que eu tenho é igualzinha.

Conclusão:

Singles Oficiais (20 Pontos): Lose You To Love Me: 8/10; Look At Her Now: 9/10.

Clipes Oficiais (30 Pontos): Lose You To Love Me: 5/10; Look At Her Now: 9/10; Rare: 8/10.

Track List/B-Sides (20 Pontos = 2 pontos/música): 17/20.

Singles Adicionais (10 Pontos): 7,5/10.

Clipes Adicionais (20 Pontos): 12/20.

Nota Final: 75,5/100.

Considerações Finais:

Eu levei um tempo para decidir como dividir cada nota, e muitos de vocês vão querer me matar por eu socar um monte de número nas conclusões. Então serei breve e explicar. Ambos os singles oficiais são bons, não vi defeitos graves em relação à música (Rare ainda não foi anunciada como oficial, pode ter sido um clipe apenas para divulgação, como foi The Light is Coming da Ariana Grande com a Nicki Minaj). Entretanto, o clipe de LYTLM é bem básico comparado aos dois. Tem explicação, mas achei que destoa dos demais.

Das b-sides, apenas Crowed Room e Fun deixam bastante a desejar, então elas fizeram a nota cair bem. Além disso, dos singles adicionais, os quais vem na versão da Target ou no vinil, Bad Liar, Fetish e It Ain’t Me são bem sem sal comparados a Wolves ou Back To You. Porém, o clipe dessas, apenas de Fetish e It Ain’t Me que são mais sem sal, porque o de Back To You nem deveria ter existido de tão sem graça que eu achei, fico com o lyric vídeo que ganho mais.

Sendo assim, encerramos por aqui essa review, espero não ter sido ácido em nada, bebam água e bom aproveito. Até amanhã se eu conseguir ideia de pauta para escrever.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s